A promoção será encerrada em...

EU QUERO FAZER A MINHA MATRÍCULA

SIM! Eu Quero Garantir a Minha Vaga e Efetuar o Pagamento Agora.

Preencha os campos abaixo apenas se você já tiver decidido entrar para o treinamento avançado Especialista Spring REST.

Veja o que você vai aprender

Prepare-se para o treinamento imersivo e online sobre desenvolvimento de REST APIs com Spring mais completo do mundo, sem nenhum exagero!

Leia abaixo as principais coisas que você vai aprender nas aulas, do zero, passo a passo e com aulas teóricas e práticas.

Spring e Injeção de Dependências

Você vai conhecer os principais projetos do ecossistema Spring para desenvolvimento de REST APIs, como Spring Framework, Spring MVC, Spring Boot, Spring Data JPA, Spring Security, Spring Security OAuth e Spring HATEOAS.

Vai também entender definitivamente como funciona a injeção de dependências com Spring, o IoC Container, definição de beans com @Component, @Configuration e @Bean, pontos de injeção, desambiguação com @Primary, @Qualifier e anotação customizada.

Além disso, você vai aprender a trabalhar com Spring Profiles, publicação e consumo de eventos customizados, configuração de projetos com application.properties e diferenciação por profile, criação e acesso de propriedades customizadas com @Value e @ConfigurationProperties, etc.

Spring Data JPA

Você vai conhecer os super poderes do Spring Data JPA, como criação de repositórios super inteligentes com a abstração do SDJ, criação de query methods com filtros, paginação e ordenação e parâmetros nomeados.

Vai também aprender a implementar repositórios customizados, externalização de consultas JPQL em arquivo XML, implementar consultas com o padrão Specifications (DDD), etc.

Fundamentos avançados de REST com Spring

Você vai dominar os fundamentos de REST definitivamente, entender o que é e o que não é esse estilo arquitetural e as constraints do REST.

Vai entender o que é de fato e a diferença conceitual e prática de uma API, Resource, Resource Model, Resource Representation, Resource Identifier, Resource Methods, Collection Resources, Singleton Resource e Sub-collection Resources.

Você também vai conhecer todos os níveis do Modelo de Maturidade de Richardson e conhecer a abordagem pragmática e purista de desenvolvedores de REST APIs.

E ainda, você vai entender com mais detalhes o protocolo HTTP, quais são os principais códigos de status do HTTP e quando usar e não usar cada um deles, identificar e entender os métodos seguros e idempotentes do HTTP, conhecer e entender quais métodos HTTP você deve usar, etc.

Você vai aprender a criar, configurar e desenvolver uma API do zero e passo a passo, usando vários projetos do ecossistema Spring.

Vai desenvolver serviços com diversos métodos HTTP, inclusive vai aprender a fazer atualização parcial com PATCH e fazer content negotiation, e tudo seguindo as boas práticas que serão discutidas e ensinadas nas aulas.

Testes de integração

Ninguém tem dúvidas que testes de software são muito importantes, mas ainda mais se esses testes forem automatizados. Por isso, no treinamento você vai aprender a implementar testes de integração automatizados para a API.

Para implementar os testes de integração, vamos usar Spring Boot Test, REST Assured, JUnit, AssertJ e Maven Failsafe Plugin.

Vamos também implementar a limpeza e população de dados de testes para cada teste (é importante que o banco esteja em um estado consistente para não influenciar o resultado).

Modelagem de projeções, pesquisas e relatórios

No mundo real, surgem várias necessidades que às vezes só estudando por conta própria nem vai passar por sua cabeça, como por exemplo projeções e pesquisas complexas.

Como a ideia do treinamento é preparar os alunos para o mundo real, você vai aprender como implementar projeções do modelo de representação de nossos recursos usando DTO e @JsonView.

Além disso, vamos estudar sobre como limitar as propriedades retornadas usando property filter do Jackson e também usando a biblioteca Squiggly.

Vamos modelar pesquisas complexas com filtros dinâmicos, paginação e ordenação e criar um endpoint que pode ser usado para consumidores que precisam de dados agregados para plotar gráficos ou exibir relatórios.

Implementaremos também um serializador customizado do Jackson para customizar propriedades de paginação na representação.

O foco do treinamento é desenvolvimento de REST APIs com Spring, mas como será que podemos modelar um recurso para disponibilizar um relatório em PDF?

Por isso mesmo, nós vamos desenvolver um relatório JasperReports com Jaspersoft Studio e disponibilizar para download em PDF em um serviço, tudo seguindo as boas práticas.

Upload e download de arquivos

Muitas vezes, precisamos implementar upload de imagens e documentos para a API. Por exemplo, o upload da foto de um produto ou foto do usuário é algo bem comum.

No treinamento, você vai aprender a modelar recursos para isso também, e ainda vai aprender a armazenar o arquivo no próprio servidor ou ainda no storage da Amazon S3 (ideal para aplicações cloud-native). Além de implementar, vamos discutir quando é melhor usar cada uma.

E claro, se você vai aprender a fazer upload de arquivos, vai também aprender a fazer o download deles, com o cuidado de não degradar a performance da API e também seguindo as boas práticas para as implementações serem independentes e intercambiáveis.

Cache de HTTP

Um assunto pouco dominado por vários programadores e que ficará na ponta da sua língua (e dos seus dedos, porque vamos implementar isso) é caching de HTTP.

Por que fazer cache? Como funciona o cache de HTTP? Quando não fazer cache? Quais são as precauções que devemos ter? Tudo isso será discutido no treinamento.

Você vai conhecer e implementar HTTP Caching com Cache-Control, entender o que são ETags (Entity Tags), implementar requisições condicionais com Deep ETags e Shallow ETags e entender como funciona a expiração e invalidação de cache.

HATEOAS e Discoverability

Discoverability é a capacidade que a API dá aos consumidores de "navegar" em seus recursos sem conhecer previamente as suas URIs, e HATEOAS é um componente do REST que torna isso possível através da inclusão de hypermedia nas respostas.

Uma API que usa HATEOAS é classificada no nível máximo do modelo de maturidade de Richardson, o que também chamamos de "A glória do REST".

Vamos estudar as formas de adicionar hypermedia nas representações dos recursos, usar o Spring HATEOAS e a especificação HAL (Hypertext Application Language) para deixar a API "descobrível" e atrativa aos consumidores.

Estudaremos como criar novos links que referenciam os métodos dos controllers, incluindo links com templates e como implementar Representation Model Assemblers, para instanciar classes de modelo de representação de recursos que suportam HATEOAS.

Vamos ter muita implementação própria para deixar as coisas consistentes, mas no final, vai valer à pena. A API ficará linda! 😍

Segurança com Spring Security, OAuth2 e JWT

Uma coisa muito importante em qualquer API é a segurança, por isso nós vamos aprofundar bastante nesse assunto.

Para começar, vamos implementar uma autenticação básica HTTP usando Spring Security. Esse tipo de autenticação é útil em alguns casos, por isso não poderia faltar.

Mas em cenários mais complexos, precisamos de uma solução melhor para autorizar clientes a usarem a API, e por isso você vai aprender sobre OAuth2.

Vamos implementar o Resource Server e Authorization Server em projetos separados e também no mesmo projeto.

Ou seja, você aprenderá a implementar para pequenos projetos, onde geralmente eles ficam juntos e também para grandes projetos, onde geralmente eles ficam separados.

Você vai aprender a implementar e usar os seguintes fluxos de autorização do OAuth2: Resource Owner Password Credentials Flow, Client Credentials Flow, Implicit Flow e Authorization Code Flow.

Você vai aprender sobre a diferença entre access token e refresh token e como gerar um novo access token através de um refresh token, além de discutirmos sobre o cuidado que você deve ter com cada tipo de token.

E além disso, vai também aprender a implementar PKCE (Proof Key for Code Exchange), que é uma extensão para Authorization Code Flow recomendada para clientes públicos, como Single-Page Applications e aplicações nativas (desktop ou mobile).

O Authorization Server será implementado com Spring Security OAuth2, também conhecida como "stack antiga". Atualmente, é a única solução que temos no ecossistema para fazer isso.

O Resource Server será implementado usando a nova stack do Spring Security para OAuth2.

Vamos estudar sobre a diferença entre Opaque Tokens e Transparent Tokens, e vamos implementar das duas formas.

Com Opaque Tokens, temos que armazenar esses tokens em algum lugar, por isso vamos configurar o Redis, um banco NoSQL do tipo chave-valor, e configurar a aplicação Spring para usá-lo. Fica bem melhor que guardar os tokens na memória da aplicação.

Vamos configurar o Authorization Server para carregar o cadastro de clients OAuth (aplicações consumidoras) do banco de dados, para evitar que isso fique hard-coded.

E ainda, vamos implementar Transparent Tokens com JWT (JSON Web Tokens). 

Aprenderemos o que é e como funciona o JWT e como assinar os tokens com algoritmo simétrico (HMAC SHA-256) e assimétrico (RSA SHA-256) e qual é a diferença entre eles.

Vamos também customizar o código de login, para validar o usuário e senha no banco de dados da aplicação e adicionar claims públicas no payload do JWT.

A segurança da aplicação será planejada para ter as entidades de usuário, grupo e permissão, por isso será bem granular.

Para garantir que os endpoints só possam ser acessados pelos usuários autorizados, vamos implementar a segurança usando Method Security, as anotações @PreAuthorize e @PostAuthorize e Spring Expression Language (SpEL).

Usaremos as authorities e roles para restringir os acessos dos usuários, além de conhecer e usar também os escopos (scopes) do OAuth2.

Criaremos também meta-anotações de segurança, para simplificar o código dos controllers e nos beneficiar de reaproveitamento de código.

Faremos ainda um controle de segurança contextual, ainda mais granular, como por exemplo quando um usuário só pode acessar um registro que é seu, ou seja, mesmo que tenha acesso ao endpoint, não é permitido que ele acesse o registro de um outro usuário.

E por fim, vamos implementar a inclusão de links (hypermedia) de acordo com as permissões do usuário (evitando a inclusão de links que não são acessíveis por falta de permissão).

JPA, Hibernate e Flyway

Você vai aprender o que é ORM, como fazer mapeamento de entidades e relacionamentos com JPA (OneToMany, ManyToOne, ManyToMany, OneToOne e Embedded).

Vai também entender e trabalhar com transações no Spring, usar JPQL e Criteria do JPA, fazer joins e fetch em relacionamentos, entender e configurar um pool de conexões (Hikari), etc.

Além disso, você ainda vai ver como criar e evoluir o schema do banco de dados com Flyway, criar migrações com remanejamento de dados, reparar migrações com erros, adicionar dados de testes com callback do Flyway, etc.

E ainda, vamos instalar e usar Lombok nas nossas classes para reduzir código boilerplate.

Domain-Driven Design (DDD)

Durante o desenvolvimento do projeto o curso, usaremos alguns conceitos e padrões do DDD, como Repository, Aggregate, Aggregate Root, Domain Event, Domain Service, Infrastructure Service, Specification e Linguagem Ubíqua.

Validações com Bean Validation

Que tal aprender a fazer validações de entradas da sua API de forma profissional e avançada?

Você vai aprender a adicionar validações no seu modelo com as anotações do Bean Validation.

Vai aprender também a customizar mensagens de validação, criar validações compostas, criar validações customizadas com ConstraintValidator, criar validações customizadas em nível de classe, criar grupos de validações, validar associações em cascata, executar checagem de validações programaticamente, entender a diferença do Resource Bundle do Spring e do Bean Validation, etc.

Tratamento e modelagem de erros da API

Tratar exceptions é muito importante, mas tão importante quanto isso, é devolver como resposta o código de status HTTP adequado e uma representação padrão do problema. Infelizmente, pouca gente faz isso direito.

Mas nesse treinamento você vai aprender a tratar exceptions e devolver uma resposta adequada e co asnsistente (padronizada) para o consumidor da API.

Você vai aprender a usar a anotação @ResponseStatus, tratar exceções em nível do controlador com @ExceptionHandler, usar a exceção padrão ResponseStatusException e tratar exceções globalmente com @ExceptionHandler, @ControllerAdvice e ResponseEntityExceptionHandler.

Vamos tratar erros de validação e atributos inexistentes, capturar a exception NoHandlerFoundException e várias outras.

Ainda, vamos discutir, implementar e estender a modelagem de erros seguindo a RFC 7807 (Problem Details for HTTP APIs).

Boas práticas e modelagem avançada de APIs

Muitos desenvolvedores de APIs não se preocupam ou até desconhecem algumas boas práticas de mercado, por isso um dos objetivos deste treinamento é discutir e disseminar esse tipo de conhecimento entre os alunos.

Você vai aprender as 5 leis fundamentais para trabalhar com data/hora em APIs, como por exemplo, uso e tratamento de timezone na requisição, resposta e armazenamento de datas e o padrão ISO 8601 para troca de dados.

Vamos ver também como fazer customizações de configurações do Jackson usando classes de mixin, para deixar o código das entidades (model) mais limpo.

Vai aprender também as boas práticas para nomeação de URIs de recursos, escolha e configuração de estratégia de nomes de propriedades, diferença e quando usar recursos de granulação fina ou recursos de granulação grossa e como modelar conceitos abstratos e ações não-CRUD na sua API.

Vamos estudar também sobre como modelar fluxos de transições de estados de recursos, implementar Sub-collection Resources, modelar e implementar endpoints que executam ações em massa.

Discutiremos sobre as diferenças entre usar as entidades como modelo de representação dos recursos ou DTOs, para desacoplar mais os controllers, além de implementar das duas formas. Usaremos o ModelMapper para fazer Object Mapping e converter DTOs em entidades e vice-versa.

Analisaremos sobre quando usar ID sequencial ou UUID para identificar recursos, além de implementar também das duas formas, de acordo com a necessidade. Veremos sobre a granularidade do payload, quando usamos respostas massivas (chunkiness) ou mais conversacional (chattiness).

Vamos implementar e organizar as nossas classes usando alguns conceitos e padrões do DDD (Domain-Driven Design), além de discutir sobre as vantagens e desvantagens de criar exceptions de negócio de granularidade fina ou grossa.

Envio de e-mails transacionais

Algo muito comum que quase todos os sistemas precisam é o envio de e-mails transacionais, como por exemplo, e-mails para avisar que um pedido foi confirmado, que a entrega está a caminho, etc.

Nós vamos desenvolver isso e você ainda vai aprender a montar templates de e-mails com Apache FreeMarker, para dados dinâmicos.

Ainda, vamos implementar componentes alternativos para envio de e-mails fake e sandbox, ideal para ambientes de desenvolvimento e staging, para evitar disparo de mensagens de teste para e-mails reais.

Documentação com OpenAPI (Swagger)

APIs bem documentadas simplificam a vida dos consumidores, por isso você vai aprender como fazer isso no treinamento usando a especificação OpenAPI (antigamente conhecida como Swagger).

E para automatizar a geração do arquivo de definição baseado na especificação, usaremos a biblioteca SpringFox, que consegue escanear o nosso código e fazer isso "automagicamente".

Usaremos também o Swagger UI dentro do nosso projeto, para disponibilizar a documentação em uma página bonitinha, de fácil navegação pelos consumidores.

Mas nem tudo são flores. Documentar uma API parece simples, ainda mais quando se usa OpenAPI/Swagger e SpringFox, mas não se engane. Em projetos reais, vários problemas aparecem e a documentação começa a ficar inconsistente.

Mas precisamos garantir que a documentação esteja refletindo exatamente o funcionamento da API, ou seja, que esteja consistente. Por isso você vai aprender vários hacks e configurações para ajustar a documentação e deixá-la limpa e correta.

CORS e consumo de APIs com Java e JavaScript

O foco do treinamento é desenvolver REST APIs, mas todo programador precisa saber como consumir sua própria API também, para se colocar no lugar do consumidor e fazer alguns testes.

Além disso, pode ser que você precise consumir APIs de terceiros, então é sempre bom saber como fazer isso.

Você vai aprender a consumir a API usando a linguagem Java e JavaScript.

E vai também entender a Política de Mesma Origem (Same Origin Policy), que os navegadores implementam, como funciona o CORS (incluindo os cabeçalhos), como habilitar CORS na API por método, controlador ou globalmente.

Cloud-native APIs

A aplicação que vamos desenvolver no treinamento será cloud-native, ou seja, planejaremos desde o início pensando que ela será implantada na nuvem.

E isso faz uma grande diferença, porque desenvolver para a nuvem tem algumas peculiaridades. Temos que tomar alguns cuidados. Mas claro, a mesma aplicação poderá ser implantada fora da nuvem também, em um servidor de intranet.

Dockerização da aplicação

Docker é uma plataforma de containers muito usada e requisitada atualmente no mercado de trabalho, porque ela facilita muito o desenvolvimento, testes e deploy de aplicações. Você vai aprender o que é Docker e como configurá-lo para rodar o projeto do curso em containers. Além disso, vamos escalar a nossa aplicação para mais containers em ambiente de desenvolvimento, usando Poor Man's Load Balancer (com DNS Round Robin do próprio Docker Engine) e um Proxy Reverso em Nginx, para testar e evitar problemas quando o projeto for escalar em produção. E vamos usar também o Docker Compose, para facilitar ainda mais a nossa vida. Um único comando será suficiente para colocar toda a aplicação no ar (incluindo as dependências, como MySQL, Redis e Nginx).

Deploy em produção na nuvem da Amazon

Se a nossa API é cloud-native, nós faremos o deploy dela na nuvem.

A aplicação Spring irá rodar em containers Docker na plataforma da Amazon Web Services (AWS), usando Elastic Container Service (ECS) e Fargate. É uma coisa linda! 💙

Vamos usar também o Amazon Elastic Container Registry (ECR), um excelente serviço de Docker Registry da Amazon alternativo ao Docker Hub, para armazenar as imagens da nossa aplicação.

E não para por aí… além do S3 para armazenamento das fotos dos produtos, você vai aprender a configurar uma instância do MySQL com o Amazon Relational Database Service (RDS).

O balanceamento de carga será configurado também, usando Amazon Elastic Load Balancer (ELB) com HTTPS habilitado através de um certificado TLS emitido pelo AWS Certificate Manager (ACM).

A instância do Redis será criada no serviço da Redislabs, que é a principal patrocinadora do Redis e que mantém um excelente serviço gerenciado dentro dos principais fornecedores de nuvem do mundo, incluindo a própria AWS.

Nenhuma informação sensível ou que pode mudar de acordo com o ambiente ficará dentro do projeto.

Além de usarmos Spring Profiles, você vai aprender a gerenciar as configurações da aplicação (variáveis de ambiente) de forma organizada e segura usando AWS Systems Manager Parameter Store, seguindo a recomendação do The Twelve-Factor App.

Ou seja, uma mesma imagem Docker do nosso projeto poderá ser executada em qualquer ambiente, bastando apenas que as variáveis de ambiente sejam definidas.

E tem mais: você vai aprender a registrar um domínio .com.br na internet e configurar um subdomínio para a REST API, como por exemplo api.algafood.com.br.

A maior parte dos serviços da AWS que vamos usar entram no nível gratuito (Free Tier), mas você vai aprender logo no início como configurar um alerta de orçamento para evitar ser surpreendido com uma conta indesejada.

Configuração e gerenciamento de logs

Ninguém duvida que fazer logging das mensagens importantes e erros é essencial para qualquer aplicação, mas para aplicações cloud-native, onde implantamos em containers descartáveis, temos que tomar cuidado.

Não podemos fazer logging para um appender de filesystem, ou seja, armazenar os logs na própria máquina, porque podemos descartar e instanciar uma nova a qualquer momento e os logs poderiam ser perdidos.

Por isso, vamos usar um serviço de gerenciamento de logs na nuvem, para onde vamos configurar a transmissão das mensagens de maneira assíncrona.

O legal é que essas ferramentas agregam os logs de todas as instâncias (containers) e fica muito mais fácil e seguro analisar os logs.

Versionamento de APIs

Uma hora ficará tão difícil manter a mesma API, que você vai sentir necessidade de criar ou alterar funcionalidades que quebram a compatibilidade com os consumidores.

O problema é que você já pode ter vários consumidores usando a API e pode ficar difícil ou até impossível migrar todos eles em uma pequena janela de tempo.

Nesse caso, você precisará implementar uma nova versão, e aí surgem várias dúvidas.

No treinamento, nós vamos estudar melhor sobre quando versionar uma API, quais as estratégias para separar o código-fonte da API antiga e da API nova e vamos implementar a seleção de versão por Media Types e por URIs.

Você vai aprender como evoluir a sua API sem quebrar os clientes (que é o ideal, já que criar uma nova versão é uma dor de cabeça que você deve evitar).

Vamos estudar também quando e como implementar depreciação e remoção de suporte de uma API, para que você faça uma transição de versões de forma mais suave.

Conteúdo programático

1.1. Introdução ao treinamento

1.2. Como usar o suporte da AlgaWorks

1.3. Por que desenvolver REST APIs?

1.4. Conhecendo o modelo de domínio do projeto do curso

1.5. Preparando o ambiente de desenvolvimento: JDK e STS for Eclipse

2.1. Por que aprender e usar Spring?

2.2. Conhecendo o ecossistema Spring

2.3. Spring vs Jakarta EE (Java EE)

2.4. Conhecendo o Spring Boot

2.5. Criando um projeto Spring Boot com Spring Initializr

2.6. Conhecendo o Maven e o pom.xml de um projeto Spring Boot

2.7. Criando um controller com Spring MVC

2.8. Restart mais rápido da aplicação com DevTools

2.9. O que é injeção de dependências?

2.10. Conhecendo o IoC Container do Spring

2.11. Definindo beans com @Component

2.12. Injetando dependências (beans Spring)

2.13. Usando @Configuration e @Bean para definir beans

2.14. Conhecendo os pontos de injeção e a anotação @Autowired

2.15. Dependência opcional com @Autowired

2.16. Ambiguidade de beans e injeção de lista de beans

2.17. Desambiguação de beans com @Primary

2.18. Desambiguação de beans com @Qualifier

2.19. Desambiguação de beans com anotação customizada

2.20. Mudando o comportamento da aplicação com Spring Profiles

2.21. Criando métodos de callback do ciclo de vida dos beans

2.22. Publicando e consumindo eventos customizados

2.23. Configurando projetos Spring Boot com o application.properties

2.24. Substituindo propriedades via linha de comando e variáveis de ambiente

2.25. Criando e acessando propriedades customizadas com @Value

2.26. Acessando propriedades com @ConfigurationProperties

2.27. Alterando a configuração do projeto dependendo do ambiente (com Spring Profiles)

2.28. Ativando o Spring Profile por linha de comando e variável de ambiente

3.1. Instalando o MySQL Server e MySQL Workbench

3.2. O que é JPA e Hibernate?

3.3. Adicionando JPA e configurando o Data Source

3.4. Mapeando entidades com JPA

3.5. Criando as tabelas do banco a partir das entidades

3.6. Mapeando o id da entidade para autoincremento

3.7. Importando dados de teste com import.sql

3.8. Consultando objetos do banco de dados

3.9. Adicionando um objeto no banco de dados

3.10. Buscando um objeto pelo id no banco de dados

3.11. Atualizando um objeto no banco de dados

3.12. Excluindo um objeto do banco de dados

3.13. Conhecendo o padrão Aggregate do DDD

3.14. Conhecendo e implementando o padrão Repository

3.15. Conhecendo e usando o Lombok

3.16. Desafio: Lombok e repositório de restaurantes

3.17. Mapeando relacionamento com @ManyToOne

3.18. A anotação @JoinColumn

3.19. Propriedade nullable de @Column e @JoinColumn

3.20. Desafio: mapeando entidades

4.1. O que é REST?

4.2. Conhecendo as constraints do REST

4.3. Diferença entre REST e RESTful

4.4. Desenvolvedores de REST APIs puristas e pragmáticos

4.5. Conhecendo o protocolo HTTP

4.6. Usando o protocolo HTTP

4.7. Instalando e testando o Postman

4.8. Entendendo o que são Recursos REST

4.9. Identificando recursos REST

4.10. Modelando e requisitando um Collection Resource com GET

4.11. Desafio: collection resource de estados

4.12. Representações de recursos e content negotiation

4.13. Implementando content negotiation para retornar JSON ou XML

4.14. Consultando Singleton Resource com GET e @PathVariable

4.15. Customizando as representações XML e JSON com @JsonIgnore, @JsonProperty e @JsonRootName

4.16. Customizando a representação em XML com Wrapper e anotações do Jackson

4.17. Conhecendo os métodos HTTP

4.18. Conhecendo os códigos de status HTTP

4.19. Definindo o status da resposta HTTP com @ResponseStatus

4.20. Manipulando a resposta HTTP com ResponseEntity

4.21. Corrigindo o Status HTTP para resource inexistente

4.22. Status HTTP para collection resource vazia: qual usar?

4.23. Modelando e implementando a inclusão de recursos com POST

4.24. Negociando o media type do payload do POST com Content-Type

4.25. Modelando e implementando a atualização de recursos com PUT

4.26. Modelando e implementando a exclusão de recursos com DELETE

4.27. Implementando a camada de domain services (e a importância da linguagem ubíqua)

4.28. Refatorando a exclusão de cozinhas para usar domain services

4.29. Desafio: modelando e implementando a consulta de recursos de restaurantes

4.30. Modelando e implementando a inclusão de recursos de restaurantes

4.31. Desafio: Modelando e implementando a atualização de recursos de restaurantes

4.32. Desafio: implementando serviços REST de cidades e estados

4.33. Analisando solução para atualização parcial de recursos com PATCH

4.34. Finalizando a atualização parcial com a API de Reflections do Spring

4.35. Introdução ao Modelo de Maturidade de Richardson (RMM)

4.36. Conhecendo o nível 0 do RMM

4.37. Conhecendo o nível 1 do RMM

4.38. Conhecendo o nível 2 do RMM

4.39. Conhecendo o nível 3 do RMM

5.1. Implementando consultas JPQL em repositórios

5.2. Conhecendo o projeto Spring Data JPA (SDJ)

5.3. Criando um repositório com Spring Data JPA (SDJ)

5.4. Refatorando o código do projeto para usar o repositório do SDJ

5.5. Desafio: refatorando todos os repositórios para usar SDJ

5.6. Criando consultas com query methods

5.7. Usando as keywords para definir critérios de query methods

5.8. Conhecendo os prefixos de query methods

5.9. Usando queries JPQL customizadas com @Query

5.10. Externalizando consultas JPQL para um arquivo XML

5.11. Implementando um repositório SDJ customizado

5.12. Implementando uma consulta dinâmica com JPQL

5.13. Implementando uma consulta simples com Criteria API

5.14. Adicionando restrições na cláusula where com Criteria API

5.15. Tornando a consulta com Criteria API com filtros dinâmicos

5.16. Conhecendo o uso do padrão Specifications (DDD) com SDJ

5.17. Implementando Specifications com SDJ

5.18. Criando uma fábrica de Specifications

5.19. Injetando o próprio repositório na implementação customizada e a anotação @Lazy

5.20. Estendendo o JpaRepository para customizar o repositório base

6.1. Mapeando relacionamento bidirecional com @OneToMany

6.2. Mapeando relacionamento muitos-para-muitos com @ManyToMany

6.3. Analisando o impacto do relacionamento muitos-para-muitos na REST API

6.4. Mapeando classes incorporáveis com @Embedded e @Embeddable

6.5. Testando e analisando o impacto da incorporação de classe na REST API

6.6. Mapeando propriedades com @CreationTimestamp e @UpdateTimestamp

6.7. Desafio: mapeando relacionamento muitos-para-um

6.8. Desafio: mapeando relacionamento um-para-muitos

6.9. Desafio: mapeando relacionamentos muitos-para-muitos

6.10. Entendendo o Eager Loading

6.11. Entendendo o Lazy Loading

6.12. Alterando a estratégia de fetching para Lazy Loading

6.13. Alterando a estratégia de fetching para Eager Loading

6.14. Resolvendo o Problema do N+1 com fetch join na JPQL

7.1. Entendendo o funcionamento de um pool de conexões

7.2. Conhecendo o Hikari: a solução padrão de pool de conexões no Spring Boot

7.3. Configurando o pool de conexões do Hikari

7.4. Schema generation em produção não é uma boa prática

7.5. Flyway: ferramenta de versionamento de schemas de banco de dados

7.6. Adicionando o Flyway no projeto e criando a primeira migração

7.7. Evoluindo o banco de dados com novas migrações

7.8. Criando migrações complexas com remanejamento de dados

7.9. Criando migração a partir de DDL gerado por schema generation

7.10. Adicionando dados de testes com callback do Flyway

7.11. Reparando migrações com erros

7.12. Desafio: Criando migrações e mapeando as entidades Pedido e ItemPedido

8.1. Introdução ao tratamento e modelagem de erros

8.2. Lançando exceções customizadas anotadas com @ResponseStatus

8.3. Lançando exceções do tipo ResponseStatusException

8.4. Estendendo ResponseStatusException

8.5. Simplificando o código com o uso de @ResponseStatus em exceptions

8.6. Desafio: refatorando os serviços REST

8.7. Analisando os impactos da refatoração

8.8. Criando a exception NegocioException

8.9. Desafio: usando a exception NegocioException

8.10. Afinando a granularidade e definindo a hierarquia das exceptions de negócios

8.11. Desafio: lançando exceptions de granularidade fina

8.12. Tratando exceções em nível de controlador com @ExceptionHandler

8.13. Tratando exceções globais com @ExceptionHandler e @ControllerAdvice

8.14. Desafio: implementando exception handler

8.15. Criando um exception handler global com ResponseEntityExceptionHandler

8.16. Customizando o corpo da resposta padrão de ResponseEntityExceptionHandler

8.17. Conhecendo a RFC 7807 (Problem Details for HTTP APIs)

8.18. Padronizando o formato de problemas no corpo de respostas com a RFC 7807

8.19. Desafio: usando o formato de problemas no corpo de respostas

8.20. Customizando exception handlers de ResponseEntityExceptionHandler

8.21. Tratando a exception InvalidFormatException na desserialização

8.22. Habilitando erros na desserialização de propriedades inexistentes ou ignoradas

8.23. Desafio - tratando PropertyBindingException na desserialização

8.24. Lançando exception de desserialização na atualização parcial (PATCH)

8.25. Desafio: tratando exception de parâmetro de URL inválido

8.26. Desafio: tratando a exceção NoHandlerFoundException

8.27. Desafio: tratando outras exceções não capturadas

8.28. Estendendo o formato do problema para adicionar novas propriedades

8.29. Desafio: estendendo o formato do problema

9.1. Validação do modelo com Bean Validation

9.2. Adicionando constraints e validando no controller com @Valid

9.3. Desafio: tratando exception de violação de constraints de validação

9.4. Estendendo o Problem Details para adicionar as propriedades com constraints violadas

9.5. Conhecendo e adicionando mais constraints de validação no modelo

9.6. Validando as associações de uma entidade em cascata

9.7. Agrupando e restringindo constraints que devem ser usadas na validação

9.8. Convertendo grupos de constraints para validação em cascata com @ConvertGroup

9.9. Desafio: adicionando constraints de validação no modelo

9.10. Customizando mensagens de validação na anotação da constraint

9.11. Customizando e resolvendo mensagens de validação globais em Resource Bundle

9.12. Desafio: customizando mensagens de validação

9.13. Resolvendo mensagens de validação com Resource Bundle do Bean Validation

9.14. Usando o Resource Bundle do Spring como Resource Bundle do Bean Validation

9.15. Criando constraints de validação customizadas usando composição

9.16. Criando constraints de validação customizadas com implementação de ConstraintValidator

9.17. Criando constraints de validação customizadas em nível de classe

9.18. Ajustando Exception Handler para adicionar mensagens de validação em nível de classe

9.19. Executando processo de validação programaticamente

9.20. Desafio: tratando a exception customizada de validações programáticas

10.1. Introdução aos Testes de Integração e Testes de APIs

10.2. Preparando o projeto para testes de integração

10.3. Criando e rodando um teste de integração com Spring Boot, JUnit e AssertJ

10.4. Escrevendo bons nomes de testes

10.5. Desafio: escrevendo testes de integração

10.6. Rodando os testes pelo Maven

10.7. Configurando Maven Failsafe Plugin no projeto

10.8. Implementando Testes de API com REST Assured e validando o código de status HTTP

10.9. Validando o corpo da resposta HTTP

10.10. Criando um método para fazer setup dos testes

10.11. Entendendo o problema da ordem de execução dos testes

10.12. Voltando o estado inicial do banco de dados para cada execução de teste com callback do Flyway

10.13. Configurando um banco de testes e usando @TestPropertySource

10.14. Limpando e populando o banco de dados de teste

10.15. Testando endpoint passando parâmetro de URL

10.16. Desafio: refatorando o código de testes

10.17. Desafio: escrevendo testes de API

11.1. Analisando e definindo melhor o escopo das transações

11.2. Refinando o payload de cadastro com @JsonIgnoreProperties

11.3. Criando classes de mixin para usar as anotações do Jackson

11.4. Desafio: usando @JsonIgnoreProperties e Jackson Mixin

11.5. Antes de estudar sobre data/hora: relembrando as aulas de geografia e entendendo os fusos horários

11.6. Boas práticas para trabalhar com data e hora em REST APIs

11.7. Configurando e refatorando o projeto para usar UTC

11.8. Desafio - refatorando o código para usar OffsetDateTime

11.9. Isolando o Domain Model do Representation Model com o padrão DTO

11.10. Implementando a conversão de entidade para DTO

11.11. Criando DTOs para entrada de dados na API

11.12. Refatorando e criando um assembler de DTO

11.13. Desafio: Refatorando e criando um disassembler do DTO

11.14. Adicionando e usando o ModelMapper

11.15. Entendendo a estratégia padrão do ModelMapper para correspondência de propriedades

11.16. Customizando o mapeamento de propriedades com ModelMapper

11.17. Mapeando para uma instância destino (e não um tipo) com ModelMapper

11.18. Revisando e ajustando as mensagens de validação com o uso de DTOs

11.19. Estratégias de nomes de propriedades - snake case vs lower camel case

11.20. Desafio: usando DTOs como representation model

11.21. Corrigindo bug de tratamento de exception de integridade de dados com flush do JPA

12.1. Modelando sub-recursos para relacionamentos

12.2. Granularidade de recursos: Chatty vs Chunky APIs

12.3. Modelando conceitos abstratos de negócio e ações não-CRUD como recursos

12.4. Implementando os endpoints de ativação e inativação de restaurantes

12.5. Desafio: implementando os endpoints de formas de pagamento

12.6. Adicionando endereço no modelo da representação do recurso de restaurante

12.7. Refatorando serviço de cadastro de restaurante para incluir endereço

12.8. Desafio: implementando os endpoints de grupos

12.9. Desafio: implementando os endpoints de usuarios

12.10. Um pouco mais sobre JPA: objeto alterado fora da transação é sincronizado com o banco de dados

12.11. Implementando regra de negócio para evitar usuários com e-mails duplicados

12.12. Implementando os endpoints de associação de formas de pagamento em restaurantes

12.13. Desafio: implementando os endpoints de produtos

12.14. Desafio: Implementando os endpoints de abertura e fechamento de restaurantes

12.15. Desafio: implementando os endpoints de associação de grupos com permissões

12.16. Desafio: implementando os endpoints de associação de usuários com grupos

12.17. Desafio: implementando endpoints de associação de usuários responsáveis com restaurantes

12.18. Implementando ativação e inativação em massa de restaurantes

12.19. Desafio: Implementando os endpoints de consulta de pedidos

12.20. Otimizando a query de pedidos e retornando model resumido na listagem

12.21. Desafio: Implementando o endpoint de emissão de pedidos

12.22. Implementando endpoint de transição de status de pedidos

12.23. Desafio: implementando endpoints de transição de status de pedidos

12.24. Refatorando o código de regras para transição de status de pedidos

12.25. Usando IDs vs UUIDs nas URIs de recursos

13.1. Fazendo projeção de recursos com @JsonView do Jackson

13.2. Limitando os campos retornados pela API com @JsonFilter do Jackson

13.3. Limitando os campos retornados pela API com Squiggly

13.4. Implementando pesquisas simples na API

13.5. Modelando pesquisas complexas na API

13.6. Implementando pesquisas complexas na API

13.7. Tratando BindException ao enviar parâmetros de URL inválidos

13.8. Implementando paginação e ordenação em recursos de coleção da API

13.9. Desafio: implementando paginação e ordenação de pedidos

13.10. Implementando JsonSerializer para customizar representação de paginação

13.11. Implementando um conversor de propriedades de ordenação

13.12. Modelando endpoints de consultas com dados agregados (ideal para gráficos e dashboards)

13.13. Discutindo sobre onde implementar as consultas com dados agregados

13.14. Implementando consulta com dados agregados de vendas diárias

13.15. Desafio: adicionando os filtros na consulta de vendas diárias

13.16. Tratando time offset na agregação de vendas diárias por data

13.17. Conhecendo o JasperSoft Studio

13.18. Criando um layout do relatório JasperReports de vendas diárias

13.19. Estruturando endpoint e serviço de emissão de relatório em PDF

13.20. Preenchendo um relatório JasperReports com JavaBeans e gerando bytes do PDF

14.1. Conhecendo soluções para upload de arquivos em REST APIs

14.2. Implementando upload de arquivo com multipart/form-data

14.3. Validando o tamanho máximo do arquivo

14.4. Desafio: Validando o content type do arquivo

14.5. Mapeando entidade FotoProduto e relacionamento um-para-um

14.6. Implementando serviço de cadastro de foto de produto

14.7. Excluindo e substituindo cadastro de foto de produto

14.8. Implementando o serviço de armazenagem de fotos no disco local

14.9. Integrando o serviço de catálogo de fotos com o serviço de armazenagem

14.10. Implementando a remoção e substituição de arquivos de fotos no serviço de armazenagem

14.11. Desafio: Implementando recuperação de foto no serviço de armazenagem

14.12. Desafio: Implementando endpoint de consulta de foto de produto

14.13. Servindo arquivos de fotos pela API

14.14. Checando media type ao servir arquivos de fotos

14.15. Desafio: implementando endpoint de exclusão de foto de produto

14.16. Corrigindo exception handler de media type não aceita

14.17. Amazon S3: conhecendo o serviço de storage da AWS

14.18. Criando usuário com permissões para adicionar objetos na Amazon S3

14.19. Criando chaves de acesso para a API da AWS

14.20. Criando bean de propriedades de configuração dos serviços de storage

14.21. Adicionando o SDK Java da Amazon S3 no projeto e criando a classe da implementação do serviço de storage

14.22. Definindo bean do client da Amazon S3 e configurando credenciais

14.23. Implementando a inclusão de objetos no bucket da Amazon S3

14.24. Desafio: Implementando a exclusão de objetos do bucket da Amazon S3

14.25. Implementando a recuperação de foto no serviço de storage do S3

14.26. Selecionando a implementação do serviço de storage de fotos

15.1. Conhecendo soluções para envio de e-mails transacionais

15.2. Configurando o projeto para envio de e-mails usando servidor SMTP

15.3. Implementando o serviço de infraestrutura de envio de e-mails com Spring

15.4. Usando o serviço de envio de e-mails na confirmação de pedidos

15.5. Processando template do corpo de e-mails com Apache FreeMarker

15.6. Melhorando o texto do e-mail com FTL (FreeMarker Template Language)

15.7. Formatando valores monetários com FTL

15.8. Desafio: implementando serviço de envio de e-mail fake

15.9. Desafio: Implementando serviço de envio de e-mail sandbox

15.10. Conhecendo o padrão Domain Events do DDD

15.11. Publicando Domain Events a partir do Aggregate Root

15.12. Observando e reagindo a Domain Events

15.13. Reagindo a Domain Events em fases específicas da transação

15.14. Desafio: enviando e-mails no cancelamento de pedidos

16.1. Implementando uma chamada na REST API com JavaScript

16.2. Testando a requisição na API com JavaScript e entendendo a Same Origin Policy

16.3. Entendendo o funcionamento básico de CORS e habilitando na API

16.4. Habilitando CORS em controladores e métodos com @CrossOrigin

16.5. Entendendo o funcionamento de preflight do CORS

16.6. Habilitando CORS globalmente no projeto da API

16.7. Desafio: implementando uma requisição GET com JavaScript

16.8. Implementando um formulário de cadastro e fazendo requisição POST com JavaScript

16.9. Desafio: implementando uma requisição DELETE com JavaScript

16.10. Implementando um client da REST API com Java e Spring

16.11. Tratando respostas com código de erro no client Java

16.12. Desafio: Implementando uma requisição POST no client Java

17.1. Introdução ao Cache de HTTP

17.2. Habilitando o cache com o cabeçalho Cache-Control e a diretiva max-age

17.3. Desafio: adicionando o cabeçalho Cache-Control na resposta

17.4. Entendendo a validação de representações em cache com ETags

17.5. Implementando requisições condicionais com Shallow ETags

17.6. Adicionando outras diretivas de Cache-Control na resposta HTTP

17.7. Usando a diretiva no-cache no cabeçalho Cache-Control da requisição

17.8. Entendendo e preparando a implementação de Deep ETags

17.9. Implementando requisições condicionais com Deep ETags

17.10. Desafio: implementando requisições condicionais com Deep ETags

18.1. Introdução à documentação de REST APIs

18.2. Conhecendo a OpenAPI (antes conhecida como Swagger)

18.3. Gerando a definição OpenAPI em JSON com SpringFox

18.4. Gerando a documentação da API em HTML com Swagger UI e SpringFox

18.5. Selecionando os endpoints da API para gerar a documentação

18.6. Descrevendo informações da API na documentação

18.7. Descrevendo tags na documentação e associando com controllers

18.8. Descrevendo as operações de endpoints na documentação

18.9. Descrevendo parâmetros de entrada na documentação

18.10. Descrevendo modelos de representações e suas propriedades

18.11. Descrevendo restrições de validação de propriedades do modelo

18.12. Descrevendo códigos de status de respostas de forma global

18.13. Desafio: descrevendo códigos de status de respostas de forma global

18.14. Descrevendo o modelo de representação de problema

18.15. Referenciando modelo de representação de problema com códigos de status de erro

18.16. Descrevendo códigos de status de respostas em endpoints específicos

18.17. Desacoplando anotações do Swagger dos controladores

18.18. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de grupos

18.19. Descrevendo media type da resposta nos endpoints

18.20. Corrigindo documentação com substituição de Pageable

18.21. Corrigindo documentação com substituição Page

18.22. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de cozinhas

18.23. Ignorando tipos de parâmetros de operações na documentação

18.24. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de formas de pagamento

18.25. Descrevendo parâmetros globais em operações

18.26. Descrevendo parâmetros implícitos em operações

18.27. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de pedidos

18.28. Descrevendo parâmetros de projeções em endpoints de consultas

18.29. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de restaurantes

18.30. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de estados

18.31. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de fluxo de pedidos

18.32. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de associação de restaurantes com formas de pagamento

18.33. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de associação de restaurantes com usuários

18.34. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de produtos

18.35. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de fotos de produtos

18.36. Corrigindo documentação no Swagger UI para upload de arquivos

18.37. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de associação de permissões com grupos

18.38. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de usuários

18.39. Desafio: descrevendo documentação de endpoints de associação de grupos com usuários

18.40. Desafio: descrevendo documentação de endpoint de estatísticas

19.1. Introdução à Discoverability e HATEOAS

19.2. Adicionando a URI do recurso criado no header da resposta

19.3. Adicionando o Spring HATEOAS no projeto

19.4. Atualizando o projeto para Spring Boot 2.2 (Spring HATEOAS 1.0)

19.5. Resolvendo conflito de dependências com Spring HATEOAS e SpringFox

19.6. Conhecendo especificações para formatos Hypermedia

19.7. Adicionando hypermedia na representação de recurso único com HAL

19.8. Construindo links dinâmicos  com WebMvcLinkBuilder

19.9. Construindo links que apontam para métodos

19.10. Adicionando hypermedia na representação de recursos de coleção

19.11. Montando modelo de representação com RepresentationModelAssembler

19.12. Desafio: adicionando hypermedia nos recursos de usuários

19.13. Corrigindo link de coleção de recurso de responsáveis por restaurante

19.14. Desafio: adicionando hypermedia nos recursos de estados

19.15. Adicionando hypermedia em recursos com paginação

19.16. Desafio: adicionando hypermedia em recursos de pedidos (paginação)

19.17. Corrigindo links de paginação com ordenação

19.18. Adicionando links com template variables

19.19. Desafio: adicionando template variables do filtro de pedidos

19.20. Refatorando construção e inclusão de links em representation model

19.21. Desafio: refatorando construção e inclusão de links

19.22. Adicionando links de transições de status de pedidos

19.23. Adicionando links condicionalmente

19.24. Desafio: adicionando hypermedia nos recursos de restaurantes

19.25. Desafio: adicionando links condicionais no recurso de restaurante

19.26. Desafio: adicionando template variable de projeção de restaurantes

19.27. Desafio: adicionando hypermedia nos recursos de formas de pagamento

19.28. Adicionando links para desassociação de formas de pagamento com restaurante

19.29. Adicionando links com template variable de caminho para associação de formas de pagamento com restaurante

19.30. Desafio: adicionando links de associação de restaurantes com responsáveis

19.31. Desafio: adicionando hypermedia nos recursos de produtos

19.32. Desafio: adicionando links para recurso de foto de produto

19.33. Desafio: adicionando hypermedia nos recursos de grupos

19.34. Desafio: adicionando links de associação de grupos com permissões

19.35. Desafio: adicionando links de associação de usuários com grupos

19.36. Implementando o Root Entry Point da API

19.37. Desafio: implementando endpoint com links de recursos de estatísticas

19.38. Comprimindo as respostas HTTP com Gzip

19.39. Corrigindo as propriedades de links na documentação

19.40. Corrigindo a documentação dos endpoints de cidades

19.41. Corrigindo a paginação na documentação

19.42. Desafio: corrigindo a documentação dos endpoints de estados

19.43. Desafio: corrigindo a documentação dos endpoints de formas de pagamento

19.44. Desafio: corrigindo a documentação dos endpoints de grupos

19.45. Desafio: corrigindo a documentação dos endpoint de pedidos (paginação)

19.46. Desafio: corrigindo a documentação dos endpoints de produtos

19.47. Desafio: corrigindo a documentação dos endpoints de restaurantes e usuários

19.48. Removendo modelo de representação inutilizado da documentação

20.1. Evoluindo a API com gestão de mudanças

20.2. Evitando quebrar os clientes: nova propriedade no modelo

20.3. Evitando quebrar os clientes: exclusão de propriedade do modelo

20.4. Evitando quebrar os clientes: alteração de tipo de propriedade do modelo

20.5. Evitando quebrar os clientes: alteração na estrutura de dados do modelo

20.6. Evitando quebrar os clientes: alteração de URL de recurso

20.7. O que é e quando versionar uma API?

20.8. As principais técnicas de versionamento de APIs

20.9. As principais abordagens para manter a base de código de APIs versionadas

20.10. Preparando o projeto para versionamento da API por Media Type

20.11. Implementando o versionamento da API por Media Type

20.12. Definindo a versão padrão da API quando o Media Type não é informado

20.13. Implementando o versionamento da API por URI

20.14. Desafio: Refatorando controladores para adicionar /v1 nas URIs

20.15. Desafio: adicionando os recursos de cozinhas na v2 da API

20.16. Gerando documentação das versões da API com SpringFox e Swagger UI

20.17. Desafio: revisando documentação da v2 da API

20.18. Depreciando uma versão da API

20.19. Desligando uma versão da API

21.1. Introdução ao Logback e SLF4J

21.2. Desafio: registrando logs de exceptions não tratadas

21.3. Criando uma conta no Loggly: serviço de gerenciamento de logs na nuvem

21.4. Configurando o appender do Loggly no Logback

21.5. Configurando o Logback para alternar as configurações por Spring Profiles

22.1. Introdução à segurança de REST APIs

22.2. Adicionando segurança na API com Spring Security

22.3. Configurando Spring Security com HTTP Basic

22.4. Configurando autenticação de usuários em memória

22.5. Introdução ao OAuth2

22.6. Soluções para OAuth2: nova stack do Spring Security vs Spring Security OAuth

22.7. Conhecendo o fluxo Resource Owner Password Credentials

22.8. Criando o projeto do Authorization Server com Spring Security OAuth2

22.9. Configurando o fluxo Authorization Server com Password Credentials e Opaque Tokens

22.10. Configurando o endpoint de introspecção de tokens no Authorization Server

22.11. Configurando o Resource Server com a nova stack do Spring Security

22.12. Conhecendo o fluxo para emitir e usar Refresh Tokens

22.13. Configurando o Refresh Token Grant Type no Authorization Server

22.14. Configurando a validade e não reutilização de Refresh Tokens

22.15. Conhecendo o fluxo Client Credentials

22.16. Configurando o Client Credentials Grant Type no Authorization Server

22.17. Revisando o fluxo Authorization Code

22.18. Configurando o Authorization Code Grant Type

22.19. Testando o fluxo Authorization Code com um client JavaScript

22.20. Conhecendo o fluxo Implicit

22.21. Configurando o fluxo Implicit Grant Type

22.22. Mais segurança com PKCE e Authorization Code Grant

22.23. Implementando o suporte a PKCE com o fluxo Authorization Code

22.24. Testando o fluxo Authorization Code com PKCE com o método plain

22.25. Testando o fluxo Authorization Code com PKCE com o método SHA-256

22.26. Testando um client JavaScript com PKCE e Authorization Code

22.27. Decidindo qual fluxo OAuth2 usar

23.1. Armazenando tokens no Redis: um banco de dados NoSQL

23.2. Configurando o RedisTokenStore

23.3. Entendendo a diferença entre Stateful e Stateless Authentication

23.4. Transparent Tokens: conhecendo o JSON Web Tokens (JWT)

23.5. Gerando JWT com chave simétrica (HMAC SHA-256) no Authorization Server

23.6. Configurando o Resource Server para JWT assinado com chave simétrica

23.7. Entendendo a diferença entre assinatura com chave simétrica e assimétrica

23.8. Gerando um par de chaves com keytool

23.9. Assinando o JWT com RSA SHA-256 (chave assimétrica)

23.10. Desafio: criando bean de propriedades de configuração do KeyStore

23.11. Extraindo a chave pública no formato PEM

23.12. Configurando a validação de JWT no Resource Server com a chave pública

23.13. Revisando o fluxo de aprovação do Authorization Code com JWT

23.14. Autenticando usuário com dados do banco de dados

23.15. Desafio: refatorando serviços de usuários para usar BCrypt

23.16. Adicionando claims customizadas no payload do JWT

23.17. Obtendo usuário autenticado no Resource Server

23.18. Definindo e criando as permissões de acesso

23.19. Carregando as permissões concedidas na autenticação

23.20. Carregando as Granted Authorities e restringindo acesso a endpoints na API

23.21. Method Security: Restringindo acesso com @PreAuthorize e SpEL

23.22. Desafio: tratando AccessDeniedException no ExceptionHandler

23.23. Simplificando o controle de acesso em métodos com meta-anotações

23.24. Entendendo os escopos do OAuth2

23.25. Carregando Granted Authorities dos escopos do OAuth2 no Resource Server

23.26. Restringindo acesso a endpoints por escopos do OAuth2

23.27. Desafio: restringindo acesso dos endpoints de restaurantes

23.28. Restringindo acessos de forma contextual (sensível à informação)

23.29. Restringindo acessos com @PostAuthorize

23.30. Desafio: restringindo acessos ao endpoint de pesquisa de pedidos

23.31. Desafio: restringindo acessos aos endpoints de transição de status de pedidos

23.32. Desafio: restringindo acessos aos endpoints de formas de pagamentos

23.33. Desafio: restringindo acessos aos endpoints de cidades e estados

23.34. Desafio: restringindo acessos aos endpoints de usuários, grupos e permissões

23.35. Desafio: restringindo acessos aos endpoints de estatísticas

23.36. Configurando os clientes OAuth2 em um banco de dados SQL

23.37. Cadastrando clientes OAuth2 no banco de dados e testando a emissão de tokens

23.38. Corrigindo lógica de restrição de acessos para Client Credentials Flow

23.39. Gerando links do HAL dinamicamente de acordo com permissões do usuário

23.40. Desafio: gerando links do HAL dinamicamente de acordo com permissões

23.41. Juntando o Resource Server com o Authorization Server no mesmo projeto

23.42. Ajustando a documentação da API para suporte a OAuth2

23.43. Customizando a página de login

23.44. Customizando a página de OAuth2 Approval

23.45. Implementando o endpoint do JSON Web Key Set (JWKS)

23.46. Externalizando o KeyStore: criando um ProtocolResolver para Base64

24.1. Conhecendo o Docker

24.2. Instalando o Docker

24.3. Executando um container

24.4. Gerenciando melhor os containers

24.5. Conhecendo a arquitetura do Docker

24.6. Entendendo o que são as imagens e o Docker Hub

24.7. Gerenciando imagens

24.8. Executando um container do MySQL

24.9. Construindo a imagem da aplicação com Dockerfile

24.10. Criando uma network e conectando dois containers

24.11. Construindo a imagem Docker pelo Maven

24.12. Disponibilizando a imagem da aplicação no Docker Hub

24.13. Conhecendo e usando Docker Compose

24.14. Controlando a ordem de inicialização com wait-for-it.sh

24.15. Escalando um serviço com Docker Compose

24.16. Entendendo o Poor Man's Load Balancer (DNS Round Robin)

24.17. Configurando um proxy reverso com Nginx

24.18. Configurando o Spring Session com Redis

24.19. Resolvendo problemas com storage de Authorization Codes

25.1. Preparando o projeto para produção com Spring Profiles

25.2. Onde fazer deploy de containers Docker?

25.3. Conhecendo a Amazon Web Services (AWS)

25.4. Monitorando e criando um alerta de gastos na AWS

25.5. Criando o bucket no Amazon S3

25.6. Criando uma instância do MySQL no Amazon RDS

25.7. Criando schema e usuário da aplicação

25.8. Conhecendo e criando uma conta no Redislabs

25.9. Criando uma instância do Redis

25.10. Conhecendo o Amazon Elastic Container Service (ECS) e Fargate

25.11. Publicando um container no Amazon ECS

25.12. Subindo a imagem Docker para o Amazon Elastic Container Registry (ECR)

25.13. Organizando as variáveis de ambiente para deploy em produção

25.14. Gerenciando as configurações com AWS Systems Manager Parameter Store

25.15. Configurando o serviço da API no Amazon ECS

25.16. Permitindo a leitura de parâmetros do Parameter Store pelo serviço do Amazon ECS

25.17. Permitindo o acesso ao MySQL pelo Security Group do serviço do Amazon ECS

25.18. Inserindo dados no banco de dados de produção

25.19. Conhecendo o Elastic Load Balancing da Amazon

25.20. Configurando e provisionando um Load Balancer na Amazon

25.21. Configurando o balanceamento de carga no serviço do Amazon ECS

25.22. Registrando um domínio de internet no Registro.br

25.23. Configurando o domínio para o Application Load Balancer

25.24. Configurando certificado TLS (HTTPS) com AWS Certificate Manager

25.25. Testando a API em produção

25.26. Conclusão e próximos passos

Os módulos 24 e 25 estão sendo gravados/atualizados neste momento e a nossa previsão é que essas aulas sejam disponibilizadas até dia 10/04/2021.

Benefícios de estudar na AlgaWorks

  • Acesso para sempre

    Seu acesso ao curso online será vitalício, ou seja, nunca vai expirar.

  • Aprenda no seu ritmo

    Estude a qualquer hora e assista as videoaulas quantas vezes precisar.

  • Certificado de conclusão

    Ao concluir o curso, você vai receber um certificado de conclusão com validação digital.

  • Suporte de especialistas

    Você vai ter acesso ao suporte de nossos especialistas por 9 meses, para tirar todas as dúvidas que tiver durante as aulas.

Certificado de conclusão

Vários de nossos alunos já relataram o prestígio que tiveram durante entrevistas de emprego por parte das empresas, quando souberam que são alunos da AlgaWorks.

E já recebemos mensagens de líderes técnicos indicando que dá preferência para candidatos que estudam com a gente também.

Sem dúvidas, ter um certificado da AlgaWorks não é um documento qualquer. É um indicador que você investe na sua carreira com treinamentos que realmente capacitam os alunos para resolver problemas reais.

Quando você concluir 100% das aulas do treinamento, vai receber um certificado do Especialista Spring REST em seu nome, com validação digital de autenticidade.

A carga horária do certificado é de 240 horas. 

Os bônus que você vai ganhar

Curso Online Java e Orientação a Objetos

Se você está enferrujado ou não sabe nada sobre Java e Orientação a Objetos, esse curso vai te ajudar a dominar isso e vai te preparar para fazer o ESR com maestria.

Liberação das aulas imediata após a compra.

VALE R$497

GRÁTIS

E-book Java e Orientação a Objetos

Mais um material para você estudar ou reforçar seu conhecimento em Java e Orientação a Objetos. Um livro digital com quase 300 páginas.

Envio imediato após a compra.

VALE R$50

GRÁTIS

Suporte VIP por 9 meses

Você vai ganhar o Suporte VIP de nossos especialistas por 9 meses, para tirar todas as suas dúvidas durante os seus estudos.

 

VALE R$3.573

GRÁTIS

Voucher de R$100 da AlgaWorks

Você vai ganhar um voucher com valor equivalente a R$100,00, para adquirir qualquer outro curso na AlgaWorks (válido por 12 meses a partir da data da sua compra).

VALE R$100

GRÁTIS

TUDO ISSO VALE R$6.300,00

Mas mesmo valendo isso, sabemos que esse valor seria inviável para muitas pessoas. Por isso...

...o investimento para o treinamento Especialista Spring REST é de apenas R$2.080.

Mas esquece esse valor! Como você está no grupo de alunos do WhatsApp...

VOCÊ INVESTIRÁ APENAS R$2.080 R$1.580

💰 Você economiza R$500,00 (24% de desconto)

💳 E você ainda pode pagar em 12x R$158,63 no cartão de crédito.

☕ É menos que um café por dia.

Só hoje (16/03)

12x R$158,63
R$1580 à vista
  • Curso Especialista Spring REST
  • Curso Java e Orientação a Objetos
  • E-book Java e Orientação a Objetos
  • Voucher de R$100
  • Acesso vitalício
  • Certificado de conclusão
  • Suporte VIP por 9 meses
EU QUERO FAZER A MINHA MATRÍCULA

SIM! Eu Quero Garantir a Minha Vaga e Efetuar o Pagamento Agora.

Preencha os campos abaixo apenas se você já tiver decidido entrar para o treinamento avançado Especialista Spring REST.

A promoção será encerrada em...

Compre agora, decida depois!
Garantia Total de 30 Dias.

Se você adquirir o treinamento e mudar de ideia em até 30 dias após a data da compra, é só enviar um e-mail para contato@algaworks.com e pedir o seu dinheiro de volta!

Nós vamos estornar seu pagamento integralmente, sem cobrança de taxas, multas... absolutamente nada! Não vamos fazer nenhuma pergunta antes de devolver seu dinheiro, e o mais importante, não ficaremos magoados com você.

Perguntas Frequentes

Você precisa conhecer apenas o básico de Java e Orientação a Objetos.

Mas se você não tiver nenhum conhecimento sobre esses assuntos, sem problemas!

A boa notícia é que nessa turma você vai ganhar como bônus um curso online completo de Java e Orientação a Objetos e também um e-book sobre o mesmo assunto.

Então, a única coisa que você precisa saber é lógica de programação. O resto você vai aprender com a gente.

Nãaaaoooo! Você vai aprender tudo, do zero até o ultra avançado nesse treinamento.

Sim. Vamos implementar a segurança com autorização bem granular/contextual.

Exemplo:

Administradores da plataforma de delivery podem fazer tudo (mas dependendo do grupo que pertencem, as permissões ficam restritas).

Gestores de restaurantes podem fazer apenas coisas relacionadas aos seus restaurantes. 

Clientes finais podem fazer apenas coisas relacionadas aos seus pedidos.

Ou seja, a segurança será por grupo/permissão, mas também será sensível ao dono da informação. Pedido que João fez não pode ser consultado/alterado pela Maria. Pedido feito para restaurante X, não pode ser consultado ou alterado pelo restaurante Y. Sebastião, que é um vendedor da empresa de delivery, não pode consultar pedidos, mas pode cadastrar restaurantes, etc.

Estamos usando as últimas versões estáveis no momento de início da gravação do curso, como por exemplo Spring Boot 2.1 e 2.2.

A maior parte das dependências são gerenciadas pelo Spring Boot, para garantir a compatibilidade.

Não. O ESR não é um treinamento de front-end. 

O Especialista Spring REST é um treinamento imersivo focado em back-end, ou seja, é para quem quer se tornar especialista em desenvolvimento de REST APIs com Spring.

Nós temos algumas aulas ensinando como consumir uma REST API com JavaScript, mas não é o foco ensinar front-end nesse treinamento.

Essas aulas têm como único objetivo ensinar JavaScript na perspectiva de consumo de REST APIs (e não desenvolver páginas completas de um sistema).

API é uma interface usada para integração de sistemas. E hoje está usando muito até para separar os módulos dos sistemas, como por exemplo a parte de front-end e back-end. 

Nesse treinamento nós vamos focar no back-end, ou seja, no desenvolvimento de APIs usando o estilo arquitetural REST.

Dessa forma, podemos ter páginas web, aplicativos, sistemas de terceiros, etc, usando a nossa mesma API, consumindo nossos serviços, realizando coisas no nosso sistema.

Resumindo:

Segurança: será bem mais avançado, com assinatura do token de forma simétrica e assimétrica, todos os fluxos do OAuth2, PKCE, Authorization Server e Resource Server juntos e separados, customização para armazenar Opaque Tokens em Redis, configuração de cadastro de clients no banco de dados, granularidade muito mais fina na autorização de endpoints.

Bean Validation: criação de validações compostas e programáticas, validações em nível de classe (quando um atributo depende do valor de outro), grupos de validações.

Exception handling: Diversas formas de tratar exceptions e uso de modelo de representação do erro, para deixar respostas de erro consistentes. Implementação da RFC 7808 (Problem Details for HTTP APIs).

Testes de integração: com Spring Boot Test, REST Assured, JUnit, AssertJ e Maven Failsafe Plugin.

Boas práticas de modelagem avançada de APIs: 5 leis fundamentais para trabalhar com data/hora, customizações do Jackson, boas práticas para nomear URIs de recursos, uso de DTO e ModelMapper, IDs vs UUIDs, Chatty vs Chunky APIs, modelagem de conceitos abstratos e ações não-CRUD, modelagem de recursos para ações em massa, etc.

Projeções, pesquisas complexas e relatórios: com DTO, @JsonView, property filter do Jackson, Squiggly, relatórios com JasperReports, etc.

Envio de e-mails transacionais: com implementações fake e sandbox de componentes para envio de e-mails (útil para testes).

Documentação com OpenAPI (Swagger): customizações avançadas para deixar a documentação consistente com a API.

Cache HTTP: Cache-control, ETags, Deep ETags, Shallow ETags, etc.

HATEOAS e Discoverability: vamos adicionar hypermedia na API usando Spring HATEOAS e HAL e revisar a API para adicionar links entre os recursos.

Versionamento de APIs: vamos discutir diversas estratégias, cuidados que devemos tomar e como implementar isso usando Media Type e URI.

E muuuuito mais.

O FSAS é um excelente treinamento imersivo. O ESR não substitui ele. E nem o FSAS substitui o ESR.

O FSAS é um treinamento que fala também de back-end, mas o foco é maior em front-end (Angular).

O ESR nasceu como um treinamento imersivo focado 100% em back-end, por isso temos a oportunidade agora de ensinar coisas que só dá pra ensinar em um curso como esse.

Sim, testes de integração com Spring Boot Test e REST Assured.

Não. O foco é REST API. Não faria sentido falar de GraphQL nesse treinamento e dividir o foco do curso, perdendo profundidade em REST.

Toda pergunta é boa, mas conceitualmente, essa pergunta não faz sentido. Sabe por que?  Porque uma coisa não substitui a outra. No treinamento, nós vamos usar Spring Boot E TAMBÉM Spring MVC (além de vários outros projetos do ecossistema).

O Spring MVC é o que nos permite desenvolver aplicações web (endpoints de uma REST APIs entra nisso).

Spring Boot nos ajuda a criar aplicações usando projetos do ecossistema Spring de uma forma muito mais produtiva, porque ele estabelece várias convenções. Ou seja, Spring Boot potencializa o Spring MVC e vários outros projetos.

Não. Isso é um assunto para um futuro curso de microservices, que não é o caso desse curso.

O ESR tem como foco total a modelagem e desenvolvimento do código da REST API com Spring, de forma ultra avançada. E apenas para ensinar isso, já precisamos de mais de 500 aulas.

Desenvolver REST APIs de forma profissional não é tão simples quanto parece, por isso o foco desse treinamento é esse.

Não será um clone do iFood. Imagino que o iFood tenha centenas de programadores trabalhando lá há alguns anos. Seria impossível fazer um clone e ensinar isso dentro de um treinamento.

O que vamos desenvolver é uma REST API inspirada no iFood e Uber Eats, para uma empresa de delivery de comidas.

O foco é ensinar os alunos a serem especialistas em desenvolvimento de APIs. O projeto é só uma forma de exercitar isso. Não espere sair do curso com um concorrente do iFood de igual para igual.

O FSAS é um treinamento imersivo que ensina tanto o back-end quanto o front-end, mas o foco maior é sem dúvidas o front-end.

O back-end do FSAS já é bem legal, mas não se compara com o ESR, que será um treinamento com foco total em back-end e por isso muuuuuito mais aprofundado.

Alguns assuntos acabarão se sobrepondo, naturalmente, mas no ESR nós vamos explicar com mais profundidade e detalhes. Outros assuntos mais avançados só serão ensinados no ESR (leia a descrição sobre o conteúdo do ESR aqui nessa página).

O SFE é um treinamento imersivo que ensina como desenvolver projetos web com a arquitetura tradicional (action-based), ou seja, com o front e back acoplados no mesmo projeto.

Apesar de também usar Spring, a arquitetura é totalmente diferente. No SFE não falamos nada de REST APIs. No ESR, o foco é totalmente esse.

O “Começando com Web Services RESTful e Spring” é um curso introdutório sobre REST APIs com Spring, para dar uma ignição em quem precisa começar mas não tem dinheiro para adquirir um treinamento completo.

Se você já é aluno desse curso e quer avançar muuuuito mais no seu conhecimento, o ESR é o caminho natural e ideal pra você.

Se você não é aluno desse curso, não tem problemas, você pode começar direto no ESR.

Esse é um treinamento especialista em back-end. Não menospreze assim o back-end.

Tem desenvolvedores back-end ganhando R$15.000 fazendo "só" isso, nem sabem escrever um HTML direito, vivem do back-end. 😂

Apesar de ser um treinamento "só" de back-end, ele é o maior treinamento da AlgaWorks. Tem um nível de aprofundamento que nenhum outro treinamento de REST APIs no mundo possui.

Agradeço muito o seu interesse, mas não negociamos o nosso preço.

O treinamento já está com um excelente custo-benefício.

O retorno que ele pode te dar é infinitamente maior do que o valor que estamos cobrando. Mas entendo a sua situação de não ter condições agora.

Será que você conseguiria falar com algum familiar ou amigo para INVESTIR em você? 

Explique a sua situação, o seu potencial, o seu comprometimento para fazer as coisas darem certo.

Tenho certeza que quem gosta de você, se puder, vai acreditar no seu potencial e vai investir em você com muito prazer.

Esse é um treinamento novo e único no mundo.

Você vai aprender um conjunto de coisas que não aprenderia em nenhum outro treinamento, justamente porque o nosso objetivo com o ESR foi aprofundar muito mais que o que já existe no mercado.

Independente se você já estudou desenvolvimento de REST APIs com Spring ou se está no zero, esse treinamento é pra você sim.

Faça a compra na sua pessoa física. Se a empresa aprovar o pagamento dentro de 30 dias, você envia um e-mail pra gente, nós recebemos da empresa e devolvemos o seu dinheiro. Ou então você pede reembolso da empresa.

Envie um e-mail para contato@algaworks.com informando a quantidade de pessoas e a nossa equipe vai te enviar uma proposta.

Fizemos isso no FSAS, SFE, SISJEE, JPA, etc. Então a previsão é que isso aconteça também no ESR. Geralmente nós adicionamos apêndices com novas funcionalidades e atualizações.

Esse é um treinamento imersivo, ou seja, um tipo de curso mais longo e avançado que nós oferecemos. É o maior treinamento da AlgaWorks.

Sim! Ela será enviada para seu e-mail após o vencimento da garantia de 30 dias.

Veja tudo o que você vai levar ao adquirir o treinamento Especialista Spring REST.

Adquira agora e receba:

  • Treinamento imersivo online Especialista Spring REST
  • Curso online Java e Orientação a Objetos (bônus)
  • E-book Java e Orientação a Objetos
  • Voucher de R$100 para comprar outros cursos na AlgaWorks (válido por 12 meses)
  • Acesso vitalício às aulas
  • Suporte por 9 meses
  • 30 dias de garantia. Se desistir, é só pedir a devolução do seu dinheiro, sem letras miúdas e sem ressentimentos

Clique no botão "FAZER MINHA MATRÍCULA" e aproveite!

arrow
FAZER A MINHA MATRÍCULA

SIM! Eu Quero Garantir a Minha Vaga e Efetuar o Pagamento Agora.

Preencha os campos abaixo apenas se você já tiver decidido entrar para o treinamento avançado Especialista Spring REST.

AlgaWorks Softwares, Treinamentos e Serviços Ltda
CNPJ: 10.687.566/0001-97